EDUCAÇÃO EM SAÚDE ATRAVÉS DA FISIOTERAPIA NA OBESIDADE INFANTIL

  • 14 de dezembro de 2017

Leandra Brinck Leiria, Murilo Zolin Ribeiro, Vanessa Hoffmann de Ávila, Viviane de Paula Santos Carvalho, Ana Helena Braga Pires.

A obesidade é caracterizada pelo excesso de gordura que se acumula no organismo, normalmente ocorre interação entre alguns fatores que são determinantes, dentre eles podemos destacar o histórico familiar, o alto peso ao nascer, obesidade materna no período da gestação, mais especificamente no primeiro trimestre de gestação, alimentação inadequada e estilo de vida (PIMENTA, PEREIRA, 2014).

Considerada um Problema de Saúde Pública em países desenvolvidos, a obesidade infantil tem tido um aumento significativo nos países em desenvolvimento. A obesidade é uma doença crônica, podendo estar associada a complicações cardiovasculares, respiratórias, ortopédicas, metabólicas, dermatológicas epsicossociais, acarretando assim em discriminação, afastamento e isolamento social (SILVA, 2015).

Classificada como uma grande desordem nutricional, a obesidade está atingindo cerca de 10% da população. É possível observar um rápido crescimento da obesidade nas últimas décadas, podendo tornar-se uma epidemia mundial, atingindo todas as faixas etárias, em especial as crianças, e ainda existe a grande propensão em crianças obesas tornarem-se adultos obesos (MORAIS, NEVES, BORGES, 2015).

Tratar de educação em saúde deve ser uma prática social, já que é um processo que contribui para a formação e consciência crítica sobre as condições de saúde buscando assim estimular a busca por soluções e organizações coletivas para tratar desse assunto (SILVA, BEZERRA, 2017).

Devido a isto, é de extrema importância a interação de uma equipe multidisciplinar, dentre estes profissionais destacamos a presença do Fisioterapeuta atuante no tratamento e na prevenção da obesidade infantil, podendo desta forma realizar ações de educação em saúde, procurando estimular as pessoas a refletirem sobre este assunto tão atual, para que desta forma venham e mudar seus estilos de vida, vindo a praticar atividades físicas e melhorar a sua alimentação, resultando em uma melhor qualidade de vida (CAMPOS et al, 2015).

 

Referências

CAMPOS, A. Y. S. et al; O fisioterapeuta como educador em saúde na prevenção da obesidade infantil. V Encontro Científico e Simpósio de Educação Unisalesiano de 06 a 09 de Outubro de 2015.

MORAIS, F.J.T.; NEVES, S.M.M.; BORGES, R.R.; Intervenção Multidisciplinar na qualidade de vida de escolares com sobrepeso. Revista Estudos. Goiânia, v. 42, n. 4, p. 449-463, out/dez. 2015.

PIMENTA, T.A.M.; PEREIRA, I.M.D.; As contribuições da intervenção multiprofissional na obesidade infantil no contexto de violência urbana. Publicatio UEPG. Ciências Sociais Aplicadas. Vol. 22, n.1, 2014.

SILVA, F.A.L.; BEZERRA, J.A.X.; Benefícios da atividade física no contro da obesidade infantil. Revista Campo do Saber. Vol. 3 nº 1 jan-jun de 2017.

SILVA, J.V.; Sobrepeso e Obesidade Infantil: Uma proposta de intervenção. Trabalho apresentado para título de Especialista em Atenção Básica em Saúde da Família. Universidade Federal de Minas Gerais. Campos Gerais/MG, 2015.