Projetos de Extensão

Compartilhe essa notícia...
Share on Facebook
Facebook
Email this to someone
email
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin

Projeto: Jogo da vida: Cidadania e Inclusão Social através do esporte
Orientador: Bruno Costa Teixeira
Bolsista: Sandro Rogério dos Santos Junior
Resumo: A prática de esportes na infância e adolescência, não é apenas um símbolo de cuidado com a saúde, mas também, uma ferramenta de integração e inclusão social. É expressivo, nos últimos anos, o aumento de projetos esportivos destinados a jovens de classes baixas. Se torna, neste sentido, fundamental que crianças e jovens aprendem muito mais que as técnicas esportivas. É preciso que as crianças aprendam noções de respeito, convívio coletivo, resoluções de conflitos e responsabilidade, além de, se afastar de convívios perigosos. Nestes encontros, os acadêmicos de Educação Física irão desenvolver atividades de iniciação esportiva com as crianças e com os adolescentes, nas áreas dos principais esportes coletivos (Voleibol, Futebol, Handebol e basquetebol), além de atividades de recreação e natação. Dentre as ações previstas, pretende-se realizar palestras, de cunho socioeducativo, envolvendo as crianças e os adolescentes em momentos de reflexão acerca de temas como qualidade de vida; desenvolvimento; importância da coletividade; preservação ambiental, dentre outros temas que forem sendo sugeridos pelos próprios partícipes. Serão realizadas avaliações físicas por meio dos testes validados pelo programa PROESP (Projeto Esporte Brasil) e também será realizado o teste de IMC (índice de Massa Corporal) de todas as crianças e adolescentes participantes para o acompanhamento das mesmas. Também serão realizados testes de desenvolvimento motor utilizando o protocolo do Rosa Neto, com seus respectivos kits específicos. Pelos motivos citados acima objetivamos com o projeto Jogo da Vida, promover ações esportivas que busquem promover o desenvolvimento social e físico para crianças do Lar Escola Nossa Senhora Conquistadora.


Projeto: Erga Omnes: O podcast do Curso de Direito da URI – São Luiz Gonzaga
Orientador: Cristiane Menna Barreto Azambuja
Bolsista: Vladson dos Santos Ajala
Resumo: No ano de 2019, surgiu o Erga Omnes, o podcast do Curso de Direito da URI – São Luiz Gonzaga. No decorrer do ano, foram veiculados 13 (treze) informativos. Pela manhã, nas rádios locais; logo depois, na plataforma SoundCloud – . Os informativos abordaram questões relacionadas ao Curso, contando com a participação de acadêmicos, professores, advogados e promotores de justiça. Com encerramento do ano, ao fazer-se um levantamento das atividades realizadas e do resultado alcançado, percebeu-se um grande interesse de todos na continuidade do propósito, inclusive com a sua ampliação. A partir de então, planejou-se a continuidade das atividades, desta feita enquanto um projeto de extensão, de maneira a levar informações do Curso e das mais variadas temáticas jurídicas aos acadêmicos e à comunidade em geral, de forma periódica, bem como, ao final, fazer um levantamento do alcance que tais informações tiveram. O direito à informação é um direito fundamental e, atualmente, nota-se que uma das melhores formas de alcançar as pessoas é por meio das plataformas digitais. Quantos acessos a plataforma digital receberia? Quais os temas seriam de maior interesse dos acadêmicos? Quais as temáticas seriam de maior interesse da comunidade em geral? Qual o alcance que tais informações teriam? Os acadêmicos e a comunidade ofereceriam um feedback favorável ao conteúdo do podcast? São algumas das questões que se anseia responder. Os métodos de abordagem serão o dedutivo e o dialético. Os métodos de procedimento serão o monográfico ou estudo de caso e o estatístico. Os tipos de pesquisa serão, quanto aos fins, a explicativa e, quanto aos meios, a bibliográfica e a quantitativa. Os resultados mostram que as plataformas digitais, nos dias de hoje, são, de fato, um grande meio de propagação de informações, a partir do momento em que de fácil alcance. Da mesma forma, comprovam que os ouvintes estabelecem uma relação mais próxima com a Universidade e com o Curso de Direito, haja vista que se tornam conhecedores de suas atividades. Por fim, demonstram que o conhecimento partilhado por meio das plataformas digitais alcança acadêmicos e comunidade em geral, atingindo, assim, os objetivos do projeto.


Projeto: Orientação Profissional
Orientador: Lizandra Andrade Nascimento
Bolsista: José Konzen
Resumo: Ao longo das sucessivas campanhas de Vestibular da URI – São Luiz Gonzaga, as comissões de divulgação e as coordenações dos cursos técnicos e de graduação entram em contato com as direções das escolas, com professores conselheiros e orientadores educacionais, os quais demonstram preocupação com a insegurança e a indecisão revelada pelos estudantes do Ensino Médio, solicitando respaldo da Universidade para subsidiar as escolhas dos jovens no que tange ao ingresso no Ensino Superior. Ciente de seu compromisso, enquanto Universidade Comunitária – conforme Portaria Ministerial Nº 665, de 5 de novembro de 2014, a URI – São Luiz Gonzaga se propõe a colaborar com as escolas e as famílias dos jovens da micorregião de São Luiz Gonzaga, por meio do Projeto Orientação Profissional – Projetos de Vida, com vistas a promover ações diversificadas voltadas à escuta dos anseios dos estudantes, à ampliação dos conhecimentos dos mesmos a respeito dos diferentes cursos e profissões disponíveis na contemporaneidade e à orientação profissional. Cabe ressaltar, ainda, que pretendemos trabalhar numa perspectiva ampla, voltada não apenas à reflexão sobre o trabalho, mas, sobretudo, sobre o sentido da vida e a necessidade de desenvolvimento das múltiplas lateralidades humanas. Assim, mais do que auxiliar os jovens na escolha de uma profissão, almejamos subsidiá-los em um processo de reflexão sobre sua pertença ao mundo e sua inserção na comunidade como cidadãos e como profissionais competentes e comprometidos com o desenvolvimento regional. Em 2019, no decorrer das oficinas de orientação profissional, chamou-nos a atenção o fato de que muitos participantes afirmaram não desejar cursar o Ensino Superior (cerca de 40%). Tal situação motivou-nos a renovar o projeto e enfatizar, nesta edição, a busca de diálogo com os estudantes do Ensino Médio da região de São Luiz Gonzaga (32ª. CRE), para conhecer o perfil dos jovens e quais são os seus anseios. Buscaremos compreender esse fenômeno, indagando por que para alguns a Universidade deixou de fazer parte de seus projetos de vida.